Tag: rentabilidade

Precificação – Preços BAR – ou – Melhor preço disponível

Não acham que isso não deveria ser um assunto aleatório, é o preço que eu quero de acordo com o meu movimento, engraçado, é verdade mas isso precisa estar fundamentado, então não pode ser feito por um gestor de canais, ele precisa ser feito automaticamente do PMS isso sim deve seguir alguns parâmetros, para o gestor de canais e não como é feito hoje pelos ditos especialistas em RM, vamos entender desde já que a flutuação de preços é a última ponta do RM e que RM ou Revenue Management é uma ciência econômica de gestão. Vou tentar seguir o ditado Chinês que diz “uma imagem vale mais que 1000 palavras, e vou usar um Hotel com 113 UHS que é uma planilha que já tenho feita.

Reparem no custo previsto UH vazia – na primeira imagem  onde a previsão de ocupação grifada em amarelo é de 34% o CUV é de 91,99.Read more

A Volta da Nossa Imagem

Esta imagem é uma delícia e a mim que tenho muitos anos de carreira e sempre soube que o que sustenta a hotelaria e turismo é atendimento e serviço, esta abençoada imagem me faz lembrar de um monte de histórias que demonstram o quanto ela está MUITO ERRADA.

Nos idos da década de 70 quando os EUA abriram o mercado para as companhias aéreas e deixaram de exercer controle sobro o preço das passagens as companhias, passaram a amargar prejuízos, ano após ano, isso se verificou até 1985 se não me engano.

Na época como em todas as outras apareceu um oportunista no mercado sobejamente arrojado, o nome dele era Donald Burr, este senhor tinha como propósito o mercado em crise das cias. Aéreas e o mercado do transporte rodoviário de 1º linha. Então colocou em prática seu plano: Comprou aeronaves deixadas pelas companhias grandes a maioria ainda poderia voar muito tempo, retirou delas todas as poltronas e trocou por cadeiras de plástico fixadas nos assoalhos. isto majorou em muito a capacidade de colocar pessoas a bordo, aboliu o serviço de bordo e podia viajar pelas leis vigentes com uma tripulação mais reduzida.Read more

PROCURA-SE UM CULPADO

Eu sou um eterno repetidor de frases como: “O fracassado nunca se preocupou com o seu fracasso, ele se preocupa em encontrar um culpado”.

Culpado achado, próximo, e a imagem ao lado amplamente divulgada na internet e inclusive já a vi no linkedin, nos mostra exatamente isso.

Quem não se lembra das multas na devolução de fitas, ou por atraso ou por falta de rebobinar, sei lá sempre por alguma estupidez, ou nem tanto até certa altura, mas de repente e não mais que de repente a mercado evoluiu e os “inteligentes” de plantão, ao invés de perceberem e até mesmo se anteciparem,

(Quando vc conhece e sabe Administrar baseado no Revenue Management sempre se antecipa aos movimentos)

correram à procura de um culpado pelo que estava a acontecer no mercado, e “voila” a culpa é da Netflix. Pronto vamos falir…..

Read more

Mais do que nunca o segredo é A EXPERIÊNCIA DO CLIENTE

Trata-se de uma mudança de paradigma, demanda a reconfiguração na estratégia da organização que precisa ficar e permanecer FOCADA na experiência do cliente, de forma a provocar melhorias no rendimento do negócio de ambos. Existem três principais sabotadores de mudanças voltadas a uma cultura centrada no cliente: eles são alvo da atenção da EMPRESA?

O elemento diferenciador de uma marca em qualquer setor deveria ser a experiência do cliente, já que este a cada dia que passa se torna mais exigente, pois dispões de um enorme leque de informações que lhe possibilitam escolhas múltiplas e algumas dessas informações têm forte poder apelativo. Será diferencial de mercado quem estiver à frente neste quesito, isso lhe proporcionará a simpatia e preferência do mercado consumidor. Ofertas “one size fits all” ou abordagens genéricas caíram em obsolescência, precisamos incentivar e enfatizar a diferença através de ofertas personalizadas e flexíveis. Cada cliente seu É, MAS FAZ QUESTÃO DE SE SENTIR simplesmente único e isso com certeza é desafio para as organizações? ACREDITE, É SIM, e Grande.Read more

O Dinheiro é meu…?

…Será? Cuidado, talvez não! você fez algum trabalho, prestou um serviço, e recebeu por isso? Ainda assim ele só é seu depois de cumpridas as obrigações, como pagamentos a parceiros ou colaboradores, taxas ou impostos, ou seja, é sua a diferença entre o valor recebido e a dedução dos compromissos todos cumpridos.

É comum ainda nos dias de hoje vermos “empresários” (os de verdade que me desculpem) levando o dinheiro do caixa das empresas para usarem como bem entendem, parece que eles esquecem, ou por egoísmo, nem querem saber que esses valores pertencem a um CNPJ, que tem personalidade jurídica, e como tal obrigações inerentes a esta, quando os valores (levados) não levam em conta estas obrigações com a alegação de que “são meus” isso vai invariavelmente gerar protestos, não só dos colaboradores como também os cartorários, cortes e ou dificuldades nos fornecimentos, enfim essas atitudes levam o CNPJ e seus titulares ao descrédito.Read more

Equipotel 2019 “Tecnologia em Destaque”

Há quem diga que há menos expositores e talvez até menos negócios. Não tenho esses dados, não é uma estatística que me interesse.

A tecnologia da qual sou adepto em que pese minha falta de “jeito” com automações, essa realmente está em alta.

Uma das coisas que mais me chamou a atenção e que há muito procuro é a possibilidade de tornar o check-in e o check-out mais eficientes e com o mínimo possível de uso de tempo e material humano, e em que pese muitos lerem esta postagem e dizerem: Isso tem há muito tempo. Eu não deixarei de perguntar: isso o quê? e o que chama de muito tempo, já que a maioria dos sistemas que conheço em uso no Brasil deixavam a desejar, principalmente o Check-outRead more

Princípios Básicos de Revenue Management nos Hotéis II

R.M. – Ingredientes do Gerenciamento efetivo de receita de hotel

  • Preço
  • Segmentação de mercados
  • Gerenciamento de inventários
  • Histórico de demandas
  • Overbookings
  • Parceiros em Reservas
  • Demanda prevista
  • Informação e análise dos sistemas

Todas estas necessidades vão ser tratadas em detalhe nas seções seguintes, porém em nossos cursos elas são discutidas com os grupos e descobrimos a melhor estratégia para cada um ou como implementá-la. No que diz respeito ao overbooking, este é absolutamente necessário para atingir 100% de ocupação, falando em over, como vc vai processar esse overbooking? Fazendo oversell, bem vindo à máxima rentabilidade em ocupação, sem ter que perder clientes. Se houver risco neste sistema, os custos devem ser levados em considerando a avaliação do excesso de receita (receita de quartos extras vendida versus custos de afastamento ou de reserva).

Read more

Princípios básicos de Revenue Management nos Hotéis

A Águia Consultoria é uma empresa inovadora em gestão hoteleira que ajuda hotéis independentes a competir de forma eficaz no mercado altamente complexo e competitivo dos nossos dias.

Com uma experiência de dezenas de anos e de ter tido oportunidade de fazer parte de equipes que implantaram sistemas em grandes redes hoteleiras as primeiras no Mundo a ter o Sistema informatizado, as nossas técnicas comprovadas funcionam com as mudanças que se avezinham, mesmo antes destas serem realidade práticas exclusivas, transformamos hotéis problemáticos em líderes de mercado.

Nossa equipe de especialistas em hotéis é especializada em:

  • Administração e gestão hoteleira
  • Gerenciamento de receita
  • Distribuição Online
  • Internet Marketing
  •  Desenvolvimento de Negócios

Acreditamos em compartilhar livremente nossos pensamentos e conhecimentos para que o setor hoteleiro como um todo se desenvolva em um nível mais profissional.  É uma introdução à estrutura operacional e estratégias envolvidas no rendimento para hotéis. Necessário para desenvolver o Revenue Management em distribuição

Esperamos que você goste.

Rui Ventura

Read more

Falando de Administração Hoteleira

Administração por Competência, não por imposição

Falava um destes dias com um Amigo que faz publicações dobre o meio e comentava ele sobre as Administradoras, onde é público e notório que não têm prejuízo, seus contratos estão feitos para que elas sempre ganhem.

O mérito não está na Administração que nem precisa ser profissional, e sim nos contratos complicados de difícil linguagem às vezes até para os advogados que não vivencia a área em seus meandros, e voltados sempre para o lucro próprio em qualquer circunstâncias, cobram “Fee” sobre faturamento geral bruto independentemente se há ou não lucro – cobram para uso do sistema de reservas e cobram por reserva cancelada e por “no show” e uma série de outros absurdos, o que eu não consigo entender é porque os investidores caem nesses “contos do vigários” já que de cada 10 com quem se conversa 11 se queixam.

Read more